José Valizi

 

Fazendinha do Valizi - Memórias de José Valizi

 

Enviar mensagem de e-mail   Facebook

 

 


 


 

CAPÍTULO

   

Faça uma pequena doação e

ajude-nos a produzir novos

conteúdos para este site.

======================

Publicidade

Estórias e causos da fazendinha

por José Valizi (publicado em 13/11/2015)

 

Crédito: Auro Valizi/Portal Onde Ir

José Valizi

Zé Valizi

 

Os óculos das vacas

Aqui na fazendinha, certa vez aconteceu uma estiagem muito prolongada. O pasto ficou todo seco, dificultando a alimentação das vacas, e estas começaram a ficar magrinhas. E o tempo não dava nem sinal de chuva. Então tive uma ideia: mandei fazer numa ótica da cidade um monte de óculos com armação bem grande e lentes verdes, e pedi para os meus vaqueiros Zezão e Manduco colocarem um óculos em cada vaca. Como as lentes eram verdes, as vacas enxergaram o pasto todo verdinho e começaram a comer capim seco pensando que era verde; com isso, elas mataram a fome e voltaram a engordar.

 

O trem de ferro

A linha do trem de ferro passava dentro da fazendinha. Em certo ponto, a linha tinha uma subida. Quando chovia, o trem patinava e não conseguia subir o morro. Então, o maquinista dava marcha à ré no trem, saía do trilho, pegava um desvio na estrada de chão, passava em frente à sede da fazenda, contornando o morro, e pegava novamente a estrada de ferro mais adiante, prosseguindo a viagem.

 

Os buracos da estrada

Quando dava chuva muito pesada na fazendinha, a enxurrada abria enormes buracos nas estradas de chão, e as carroças e carros de bois não conseguiam passar. Então, a gente reunia a turma da fazenda, todo mundo com enxadão, enxada, picareta e pá, e cavávamos em volta dos buracos e virávamos todos eles de boca para baixo, deixando as estradas consertadas.

 

Açúcar na horta

Eu costumava falar no meu programa que durante o mês de fevereiro era época de colocar açúcar no canteiro de cebolinha, pois elas ficavam mais viçosas e gostosas. Certo dia, um pedreiro da cidade veio me dizer que o filho dele, uma criança, ouviu eu dizer isso no rádio e, sem que a mãe dele percebesse, foi lá na cozinha, pegou um saco de açúcar e despejou todinho no canteiro de cebolinha que eles tinham no quintal. Quando a mãe do menino viu o que ele tinha feito, ficou muito brava, e o moleque explicou que “foi o Zé Valizi que falou no rádio para fazer aquilo”. Depois que o pedreiro me contou o ocorrido, falei que eu não faria mais essas brincadeiras que pudessem dar prejuízo ao ouvinte. Mas na verdade, o pedreiro deu foi muita risada da arte que o filho dele fez.

   
   

APOIO CULTURAL

Faça uma pequena doação e

ajude-nos a produzir novos

conteúdos para este site.


REPUBLICAÇÃO RESTRITA

Não está autorizada a republicação dos artigos deste site em nenhum outro site na internet. Caso você queira compartilhar através da internet algum artigo aqui publicado, sugerimos que você poste uma chamada com um link, de tal modo que a leitura do artigo seja feita no site Fazendinha do Valizi. Para republicação em mídias impressas, mediante autorização prévia, deverá constar como fonte do artigo o endereço deste site (www.valizi.com.br).


Desenvolvido por Portal Onde Ir