José Valizi

 

Fazendinha do Valizi - Memórias de José Valizi

 

Enviar mensagem de e-mail   Facebook

 

 


 


 

CAPÍTULO

   

Faça uma pequena doação e

ajude-nos a produzir novos

conteúdos para este site.

======================

Publicidade

Tem gente que pensa que eu tenho uma fazenda

por José Valizi (publicado em 30/06/2014; revisado em 30/07/2014)

 

 

Até hoje em dia, provavelmente muitas das pessoas que acompanhavam o meu programa no rádio ainda continuam pensando que eu tenho uma fazenda. Será que isso é verdade? Então, vou explicar...

 

Meus avós, tanto paternos quanto maternos, eram imigrantes italianos e, após chegarem ao Brasil no final do século XIX (mais precisamente no ano de 1896), foram trabalhar na lavoura de café. Então, meus avós tiveram seus filhos, meu pai conheceu minha mãe, se casaram e continuaram trabalhando na lavoura. Foi assim que, no período de 1932 a 1958, eu nasci, cresci e vivi na zona rural, ajudando meus pais na lida.

 

Durante o tempo em que eu vivi e morei na zona rural, meus pais trabalharam em algumas fazendas da região de Franca-SP. Ora eles foram colonos das fazendas, ora foram meeiros (que é o agricultor que trabalha em terras que pertencem a outra pessoa. Em geral o meeiro ocupa-se de todo o trabalho, e reparte com o dono da terra o resultado da produção) e, portanto, nunca chegamos a ter nossa própria fazenda.

 

Por causa desses 26 anos de constante contato com a natureza é que trago comigo um sentimento muito forte em relação às coisas do campo, da fazenda. Por causa disso, quando iniciei o meu programa no rádio, achei interessante que o nome do programa fosse algo relacionado à zona rural. Como o prefixo da Rádio Cultura naquela época era "ZYK8", então o programa passou a se chamar, inicialmente, "Fazendinha ZYK8". Mas as cartas que os ouvintes me enviavam (naquela época não existia a internet, e os aparelhos telefônicos eram raros; apenas poucas residências e estabelecimentos comerciais é que tinham um telefone; a única maneira do ouvinte interagir com o programa era por meio de cartas), eram endereçadas ao programa "Fazendinha do Valizi", pois era mais fácil para o ouvinte compreender o meu nome do que o prefixo "ZYK8" da rádio. E assim, percebendo essa tendência, mudei o "ZYK8" para "Valizi", e o nome do programa passou a ser "Fazendinha do Valizi", por influência do próprio público.

 

A partir de então, durante décadas a expressão "fazendinha" ficou gravada na mente de todos os ouvintes e fãs do programa. E como na minha imaginação eu fazia o programa como se ele estivesse sendo transmitido diretamente de uma fazenda, muitos dos ouvintes acreditavam, e provavelmente há pessoas que ainda acham isso, que eu estava mesmo em uma fazenda e que, além disso, a fazenda era minha.

 

Mas a "Fazendinha do Valizi" é um lugar fictício que só existe na minha imaginação. Na realidade, não tenho e nunca tive uma fazenda de verdade, embora para os fãs do programa que já sabiam disso, é como se eu realmente a tivesse, pois até hoje quando me encontram na rua, mesmo sabendo que não faço mais o programa, me perguntam com carinho: - E aí, Valizi? Como vai a "fazendinha"?

   
   

APOIO CULTURAL

Faça uma pequena doação e

ajude-nos a produzir novos

conteúdos para este site.


REPUBLICAÇÃO RESTRITA

Não está autorizada a republicação dos artigos deste site em nenhum outro site na internet. Caso você queira compartilhar através da internet algum artigo aqui publicado, sugerimos que você poste uma chamada com um link, de tal modo que a leitura do artigo seja feita no site Fazendinha do Valizi. Para republicação em mídias impressas, mediante autorização prévia, deverá constar como fonte do artigo o endereço deste site (www.valizi.com.br).


Desenvolvido por Portal Onde Ir